Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

NOTÍCIAS

MUSEU DA PESSOA, NOVO CLIENTE DA ETHOS, INAUGURA EXPOSIÇÃO ‘LEMBRA, CORPO?’

O Museu da Pessoa, uma das instituições culturais mais importantes do país, se tornou mais um cliente de Comunicação Estratégica da Ethos Comunicação & Arte. E ela está com uma agenda cheia de novidades. Foi inaugurado, dia 12 de março, na estação República do metrô, em São Paulo, a exposição Lembra, Corpo? que conta histórias coletadas pelo programa “Conte Sua História”, promovido ao longo de 2018. O projeto tem a curadoria de imagens e textos do escritor e editor Diógenes Moura, conceito curatorial de Karen Worcman, cenografia e expografia de Marcelo Larrea e intervenção artística de Nario Barbosa, com bordados feitos sobre as fotografias. A exposição tem o patrocínio da Sanofi, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet.

“Lembra, Corpo? mostra trechos da vida de cada entrevistado sob o ponto de vista da relação entre corpo e memória, como a menina que quis clarear o corpo do irmão com palha de aço; a primeira intimidade do casal recém-casado ou o preconceito sofrido por possuir uma doença de pele. As pessoas que compartilharam suas memórias possuem desafios nas suas vidas e nos seus corpos. Em meio a esses desafios, encontra-se a beleza das narrativas, das fotos e dos corpos”, explica Karen Worcman, fundadora e diretora-presidente do Museu da Pessoa.

Para o curador Diógenes Moura, Lembra, corpo? é mais que uma exposição. “Não são apenas textos e fotografias para os olhos dos visitantes. É também um filme, um livro, a segunda pele de cada um de nós e do próprio verso do poeta grego Konstantinos Kaváfis, que deu título à mostra. Lembra, corpo? trata de passado, presente e futuro. Trata de desejo. Trata de existência”.
Cléa Magnani Pimenta, uma das entrevistadas da mostra, comenta: “Hoje eu fechei, com 71 anos, o meu ciclo de vida que eu tentei resgatar, e a partir de hoje eu vou escrever outro. Vamos viver o hoje?”
Surpreso e emocionado com a exposição, Teruo Makio, outro entrevistado que teve sua história retratada na exposição, conta mais um pouco sobre sua vida: “Eu não me relacionei com filhos de japoneses, mas sim com gente nortista. Eu aprendi a comer arroz, feijão, farofa e jabá”.

O artista Nario Barbosa, responsável pelo conceito e criação dos bordados em papel nas fotografias, destaca as suas origens como principal inspiração para seu trabalho. “É um pouco do que eu trouxe lá do Nordeste, do bordado, da minha mãe, do ponto cruz. Eu tento resgatar um pouco dessas lembranças, do que eu tinha lá na infância. Tem tudo a ver com esse trabalho, essa coisa da memória preservada”, explica.

Lembra, Corpo? ficará aberta à visitação do público até 06 de abril de 2019.